Visitante!
Faça seu Login ou Registre-se!

Galeria de Jogos

Projetos Intermináveis - A maldição dos projetos jogados ao limbo 10 Respostas | 796 Visualizações

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Caster

  • *
  • Mensagens: 121 Ouro: 149
    • RPG Maker MV
    • Steam
    • Ver perfil

Introdução

Olá, desenvolvedores. Tudo bem com vocês? Estou aqui para falar de algo, que certamente pode ser um assunto intrigante, e que muitas pessoas não pararam para pensar ainda. Os projetos inacabados ou perdidos. Projetos pelos quais o desenvolvedor começa a produzir animado e esperançoso, desejando que seu sonho de criar um jogo se torne realidade. Então o desenvolvedor, seleciona uma engine, e com tudo já projetado no papel (ou não), começa a produzir o jogo de seus sonhos, e faz certo progresso com o mesmo. Porém, repentinamente, ele simplesmente desiste de sua criação, para de produzir, e lança seu projeto no limbo, ou fica incapacitado de continuar sua ideia de transformar seu projeto em um jogo, por uma ou mais razões específicas.

Mesmo não sendo necessário dizer, isso é algo péssimo. Se isso acontece, certamente algo de errado aconteceu, ou o projeto foi simplesmente mal planejado durante seu desenvolvimento e/ou idealização. Não pense que isso é exclusivo para certa comunidade, engine, ou seleto grupo de pessoas. Este mal afunda projetos de muitos desenvolvedores. Pois bem... Hoje direi as causas mais comuns disso acontecer, e como se livrar deste terrível mal que assombra nossos projetos.


Antes de começar, devo deixar claro que cada uma destas causas são coisas que podem vir a acontecer. Em nenhum momento citarei coisas que acontecerão obrigatoriamente a quem seguir um destes caminhos citados abaixo. No jogo da vida, existem inúmeras possibilidades, e o que acontece comigo pode não acontecer com você. Escapar de armadilhas é algo que pode ser feito involuntariamente. E alguns desenvolvedores, mais habilidosos, podem escapar facilmente destas armadilhas e não se identificar com nenhuma das razões citadas a seguir, porém, é sempre bom se equipar com a melhor armadura, e subestimar seu inimigo é razão de morte certa. Vamos começar.


Grandiosidade

A primeira das possíveis causas deste problema é o tamanho do projeto. Não, não se trata deste tipo de tamanho que está pensando. É o tamanho da ideia, e o quão grandiosa ela é. Vou dar um exemplo para facilitar o entendimento.



Por vezes, novatos no RPG Maker  (o RPG Maker será apenas um exemplo, mas este argumento é válido para qualquer engine, qualquer coisa que se possa ser usada para criar um jogo) por vezes costumam almejar grandes projetos, criar jogos baseados e/ou inspirados nos que eles costumam jogar, por exemplo. Por vezes, um jogo até melhor, como por exemplo, um incrível RPG com mais de 100 horas de jogatina, muitas missões primárias e secundárias, dezenas de personagens jogáveis, minigames, muitos chefes, magias, ataques, ou seja, muito conteúdo jogável. Sempre ter mais conteúdo para explorar e ser adquirido, e o jogo continuar a ser produzido e atualizado, até seu inevitável fim. E esse é um dos principais motivos que criam este problema.


Esta é uma coisa bem simples, creio que a maioria das pessoas já imagina o motivo. Grandes empresas possuem equipes de mais de 20 pessoas, até muito mais que isso, um orçamento de milhões e milhões de dólares, profissionais qualificados, que treinaram e estudaram anos para estar ali produzindo aquilo, uma marca conhecida que possivelmente pode garantir que o jogo seja conhecido, por estar sendo feito por aquela produtora.

Mesmo para produtoras grandes, produzir um jogo é sempre uma aposta às cegas. Pode dar certo, ou pode não dar certo, tratando-se de um jogo novo, no caso. Muitas empresas falham ao produzir jogos, e acabam criando catástrofes, que podem arruinar a imagem da empresa. Até para eles, é difícil, imagine só para desenvolvedores Indies.

 A pessoa que deseja criar algo muito grande, algo impossível, algo fora de seu alcance no momento, possui a tendência de provavelmente não saber por onde começar, se perder no meio do caminho, e falhar completamente. E uma coisa que já era difícil de ser alcançada, a criação de um jogo, se torna algo impossível. Obviamente, é sim possível criar um jogo deste tipo.

Porém, é necessário experiência, muito empenho, muito tempo de trabalho, e talvez, uma equipe com várias pessoas. Não estou dizendo que é algo impossível, mas é algo que é difícil de ser alcançado, até mesmo por quem possui habilidade e experiência. Então, isso afeta ainda mais quem está em seu primeiro jogo. Mantenha seu jogo algo alcançável, não faça-o como se estivesse querendo tocar o céu com seu dedo. Um jogo simples, porém completo é algo de se orgulhar bem mais que um jogo incompleto e complexo.


Arrependimento

A segunda provável razão é o arrependimento. Não é uma razão tão comum quanto a primeira, mas acredito que seja sim, algo que influencie uma boa parte dos desenvolvedores a desistirem de seus projetos. Esta é bem simples. O desenvolvedor, com sua ideia, começa a criar seu jogo, mas no meio do caminho se arrepende do que fez. Ou porque acha que seu jogo, a seus olhos, esteja ruim, malfeito, desagradável.    

Este é um ponto compreensível, pois os desenvolvedores estão sempre buscando a perfeição. Que seus jogos sejam os melhores possíveis, que no futuro, possam olhar para sua criação, e dizer que possui orgulho da mesma.


Mas este conceito é contraditório. Os jogadores, o público alvo do jogo, podem olhar e dizer que o jogo está bom, mas o desenvolvedor dizer que está ruim. Isto foi algo que aconteceu com o criador de Stardew Valley, um jogo muito conhecido de simulação de fazenda, inspirado em Harvest Moon. Na cabeça dele, o jogo estava ruim, mas as pessoas pelas quais ele oferecia o jogo para testar e jogar, diziam que o jogo era divertido. Claro que aos olhos críticos e pesados do desenvolvedor, o jogo pode estar péssimo, ou também pode estar bom, isso varia de pessoa pra pessoa, mas isto é algo que costuma sim afetar o desenvolvimento de jogos, e impedir que os mesmos saiam do papel, ou da engine, e virem jogos de verdade.

Outra razão para o arrependimento é a opinião alheia. Você desenvolveu seu jogo até certo ponto, e resolve lançar uma DEMO para que as pessoas possam sentir um gostinho do que seu jogo tem a oferecer, e criticam negativamente/pejorativamente seu jogo.


A opinião alheia é sim, muito importante para contribuir com o desenvolvimento do jogo, e os jogadores oferecerão críticas (provavelmente construtivas se tudo correr bem) para auxiliar o desenvolvedor a melhorar estes pontos, e criar um jogo ainda melhor, este é o princípio básico, correto? Se as pessoas não gostaram do seu jogo, mesmo você tendo trabalhado duro nele, não se deixe abalar, pense, você criou um jogo. Mesmo que não esteja completo, você fez isso, com suas próprias mãos. Isso é algo que muitos desenvolvedores não conseguem fazer, se orgulhe disso. Se você trabalhou muito naquilo, e mesmo assim as pessoas não gostarem, não se preocupe. As pessoas podem não ter entendido o significado do jogo, ou provavelmente estão acostumados a jogar os jogos AAA que são criados por empresas grandes, ou simplesmente aquele tipo de jogo não é de interesse deles, ou algum motivo semelhante.

Como foi dito anteriormente, não se deixe abalar, estes obstáculos são o que te deixam mais forte. A partir do momento que você coloca algo na internet (ou até mesmo em mídia física) para as pessoas avaliarem, você deve estar preparado para isso, psicologicamente falando, nem tudo será flores, mas você não pode desistir.



Traição

Ainda há um último motivo, este que atinge muitas pessoas. Você está produzindo um jogo, e tudo vai bem. Porém, durante a produção, surgem ideias na sua cabeça, e você pensa que tudo aquilo seria incrível caso se tornasse um jogo, e resolve começar a produzir outro jogo. A maldição do segundo projeto.


Tenho certeza que algumas pessoas se familiarizam com essa. Mas você deve estar dizendo a si mesmo que pode aguentar dois ou mais projetos, e criar dois ou mais jogos ao mesmo tempo. Em teoria, você pode. Em prática, não tanto. Depende das circunstâncias, claro. Não digo que é impossível aguentar dois projetos, mas não é o certo a se fazer. Devagar e sempre, se chega aonde quiser.

Digamos que um projeto possui um bug, um erro, algo que não consigo resolver, o que faço? Tentar resolver o erro ou deixar isso pra lá e ir trabalhar no outro projeto para aproveitar meu tempo. Pois é. Quando se encontra uma barreira deste tipo, normalmente a primeira coisa que se pensa, é simplesmente desistir, ou tentar mais tarde, e começar a trabalhar no outro projeto. Parece a solução ideal, não é mesmo? Mas é nesta solução que o projeto se abandona. Você começa a não querer nem mais abrir o projeto para continuar a produção, ou querer resolver o erro. Pois o erro, que te arrancou as atenções de um projeto para o outro. Você fica tão fascinado pelo outro projeto, que logo se esquece do que possui o erro, e desiste completamente dele. Mas você diz para si mesmo que não vai cair nesta armadilha, que vai sim tentar resolver o erro, e continuar produzindo o jogo mesmo assim, que não desiste.

A diferença entre os projetos. Um dos projetos pode ser o famoso RPG de 100+ horas e o outro simplesmente um jogo de puzzles. O RPG de 100+ horas é o que demora mais para ser produzido, e o jogo de puzzles é o mais fácil. Então, vou trabalhar mais tempo no RPG que é mais difícil, e menos tempo no de puzzles, porque ele pode esperar, é rápido de ser produzido. E é nesse momento que seu jogo de puzzles é abandonado, e o RPG prevalece. Pode acontecer o contrário também, isso é variável, mas a ideia é a mesma.

Ao dizer isso, não estou querendo dizer que você não pode produzir dois jogos, que isso é impossível, que quem faz isso não possui nenhuma sabedoria sobre desenvolvimento de jogos, e coisas do gênero. Porém, o mais recomendável a se fazer, é terminar um jogo após o outro. Fazer dois jogos ao mesmo tempo vai complicar ainda mais sua vida, criar somente um jogo já é extremamente difícil, imagine dois, ao mesmo tempo. Respire, e faça uma coisa de cada vez. À vontade, e o desejo insaciável de desenvolver outro jogo, é uma armadilha fatal, engana muitos desenvolvedores, e não acabam produzindo nada.



Concluindo

Conclusão: Há várias razões pelas quais um desenvolvedor acaba desistindo de seu jogo, de certeza eu não cobri todas aqui, são variadas, mas decidi cobrir as principais. A grandiosidade da sua ideia, que te mantém amarrado a algo extremamente grandioso e interminável. O arrependimento, que é causado pelo desenvolvedor achar que não está fazendo um bom trabalho, que seu jogo está ruim, e podendo chegar a está conclusão por opinião tanto pessoal quanto alheia. E o segundo projeto, que é aquele momento que vem uma ideia na cabeça, e você quer transformá-la em um jogo, mesmo já possuindo um jogo em produção, o que pode levar a um dos projetos ser abandonado, ou até mesmo ambos. Essas armadilhas atingem muitos desenvolvedores, por isso não conseguem completar seus jogos. Se mantenha atento a elas que são apenas uma pequena parte da difícil jornada, que é a criação de jogos.

Abraços, e até a próxima!
« Última modificação: 03 Jan 2018, 09:55 por Corvo »

makergame2000

  • *
  • Mensagens: 343 Ouro: 90
    • RPG Maker XP
    • Ver perfil
  • NightWalker
Eu acho o que mata mais um projeto é a falta de comentários ou de pessoas a jogar.

Afinal não vale muito apena fazer um jogo se ninguem o vai jogar

HammerStrike

  • *
  • Mensagens: 172 Ouro: 84
  • "Quando vou terminar?quando estiver pronto!"
    • RPG Maker VX/Ace
    • Ver perfil
De forma geral eu concordo com você Caster, mas acho que muitas dessas coisas só se aprende errando.

Não quero me estender no assunto, em resumo, eu acho que os Maker mais experientes deveria criar/finalizar mais jogos. Falta um espelhamento nas comunidades de RPG Maker, o cara que é novo ele só vê jogo genérico ao extremo e acaba se conformando em ficar nessa também.

Outra mentalidade que deveria mudar é a de "Criar seu próprio" para "Criar um jogo". AS vezes o cara é bom em pixel art, desenho, programação, musica e etc e ao invés de se juntar em um projeto que ele vê futuro e fazer parte daquilo o cara preferi ficar sozinho criando um jogo medíocre. No meu caso mesmo, conheci o RPG Maker na época do 2k e 2k3 e de lá pra cá criei inúmeros projetos que foram deletados por inúmeros fatores (Incluindo namorada, sim, vocês sabem do que eu estou falando), mais de 10 anos na engine e tudo que eu tenho é um jogo que tenho vergonha de falar e 2 projetos ainda em andamento.

Boa matéria Caster.
1 Bit Estúdio

Gavron

  • *
  • Mensagens: 35 Ouro: 14
  • Eu não lamento o fracasso, eu aceito carregá-lo.
    • RPG Maker VX/Ace
    • Ver perfil
    • E-mail
Essa foi a melhor matéria que li no site até hoje, até pelo fato de ser  bem recorrente não só pelos grandes projetos que estão por vir mais os que ainda estão no papel, o desenvolvedor pode facilmente cair nessas armadilhas citadas falo isso por experiência própria, hoje finalmente tomei coragem e paciência (principalmente) pra desenvolver meu projeto.:banhammer:

Matt RvdR

  • *
  • Mensagens: 123 Ouro: 173
  • Das antigas.
    • RPG Maker VX/Ace
    • Ver perfil
Concordo em partes. Por experiência própria já passei por estas situações. Projetos grandiosos demais ou um segundo projeto despontando na mente, mas no fim das contas todos serviram para meu crescimento enquanto ser criativo utilizando uma engine de desenvolvimento de jogos para expôr idéias. Mas também, em muitos casos, nossa vida acaba não se limitando ou se direcionando ao desenvolvimento de jogos.

Fiquei quase 05 anos afastado do meu projeto atual. A vida simplesmente chegou em um momento em que precisei focar na carreira e na vida pessoal. Eu não sendo um desenvolvedor de jogos aqui fora, acabei deixando de lado um (sem contar os outros que aceitei que não quero levar para a frente) projeto inacabado. E o que me fez voltar aqui foi simplesmente a necessidade de saber que encerrei um momento muito crucial na minha vida (o maker me ajudou de inúmeras formas além do entendimento de um processo criativo. Foi no maker que aprendi a projetar enredos e idéias que mais tarde utilizaria no meu trabalho hoje, é sempre bacana refletir sobre isso), Mas sei que como eu existem inúmeros outros desenvolvedores independentes e/ou amadores que acabam desistindo dos projetos por conta da vida pessoal, a máquina aqui de fora na qual não podemos deixar de correr atrás, alguns mais cedo, outros mais tarde.

Um tópico bacana a ser discutido e uma reflexão interessante para o pessoal daí.


Não quero me estender no assunto, em resumo, eu acho que os Maker mais experientes deveria criar/finalizar mais jogos. Falta um espelhamento nas comunidades de RPG Maker, o cara que é novo ele só vê jogo genérico ao extremo e acaba se conformando em ficar nessa também.


Outra razão que me fez tomar vergonha na cara e vir terminar o que comecei, rsrsrs.

. . .

Abraços. :)
« Última modificação: 04 Jan 2018, 23:22 por Matt RvdR »

hategum rpg

  • *
  • Mensagens: 631 Ouro: 87
  • I See Fire!
    • RPG Maker VX/Ace
    • Google+
    • Youtube
    • Ver perfil
  • BatalhadoraCapacete de Ferro
Se o game for um rpg então ele é infinito e praticamente interminável , isso é a graça de se desenvolver no rpg maker, fazer um nine hundred and ninety-nine complete e de qualidade  :XD:

Depende de cada um, tem gente que gosta de fazer mini-games, faz inúmeros jogos. Não deixa de ser um projeto com inicio, meio e fim.

Assim como nas grandes empresas de jogos se seu jogo for ruim ninguém vai joga-lo, mas existe um publico certo para todo tipo de produto.

Os "novatos" na engine sempre vão querer fazer um fã game, ou algo muito parecido com que jogaram alguma vez.
É ate simples terminar um projeto a questão é a qualidade que o jogo fica.

Não da pra começar sendo o diretor do projeto se você é desorganizado, i não só isso a capacidade de administrar seu projeto bem só vem com o tempo, e nisso, você precisa gastar alguns anos desenvolvendo o seu amado jogo pra sempre ter vontade de continuar.

E outra assim como um jedi, aprendemos com nossos erros e evoluímos, Claro que quem esta desenvolvendo com interesses lucrativos logo vai buscar a melhor engine no mercado pra poder vender seu peixe.

É complicado fazer um jogo sozinho, mas é aquela sensação de ter feito com o próprio suor e dar aquela coisa unica que só você tem na sua construção de ser humano que define o quanto é glorioso fazer tudo sozinho.

E da trabalho, fazer recursos originais, sistemas complexos, composições de musicas, elaboração de enredos, tudo isso leva tempo.

O tempo é a principal vantagem ou desvantagem , o tempo pode melhorar seu projeto como tambem pode leva-lo para o esquecimento...

Como se trata de um projeto digital, é sempre um problema manter os arquivos, eu mesmo já perdi as contas....Quantas vezes eu recomecei meu projeto do zero? por isso que não da pra confiar que seu jogo vai sair do jeitinho que você deseja.

O importante é continuar mesmo que seu hd exploda e leve anos de desenvolvimento pro espaço. A maioria desiste e acaba fazendo outro projeto.

Ate hoje, não vi ou joguei um jogo no rpg maker que fosse pelo menos bom. Não falo do mini games que são divertidos, mas de jogo mesmo completo, nada de bom tudo porcaria mal feita na maioria, pelo menos essa é a parte boa, da pra fazer um jogo mediano que vai ser o top dos jogos....

Bom o fato é, eu sou um desenvolvedor de um jogo e não desenvolvedor de jogos. É uma grande diferença, pra quem quer fazer varios jogos faça mini-games e pronto. São sempre divertidos  :XD:
 

Vixen

  • *
  • Mensagens: 242 Ouro: 120
    • RPG Maker 2k/2k3
    • Ver perfil
Tópico bem interessante, lembro que já tinha rolado um do tipo um tempão atrás, mas é sempre um dos assuntos mais relevantes pra comunidade maker.

Particularmente já passei por todos os três momentos citados, e felizmente consegui arrumar ferramentas pra driblá-los, mas também concordo com vários dos comentários acima, especialmente do makergame2000.

Fato: a comunidade maker sempre foi povoada por aqueles projetos bucha de canhão, aliás são a grande maioria. O cara chega e conhece o maker e fica numa empolgação de que vai criar um RPG que vai mudar o destino da humanidade, a ideia dele é super especial e então ele começa a produzir sua obra-prima e ... em duas semanas ele termina. Óbvio que está uma droga, não tem nem como não estar, independente do esforço dele, simplesmente por que não dá pra criar um bom RPG em uma semana e produzí-lo corretamente. Por outro lado temos aqueles projetos verdadeiramente lindos, coisas que a gente nem imagina ser possível fazer no maker, a história é perfeita, os sistemas apresentados são únicos, a demo lançada nos instigou a querer mais e mais, mas ... o projeto nunca sai (insira aqui qualquer motivo possível pra isso) e acabamos com um promesso (projeto+promessa). Essa é a grande base de jogos makers, e são poucos que fogem dessas definições. Eu mesmo já caí em ambas ...  E é isso que torna cada bom projeto lançado tão especial. Vai dizer que vocÊ não tem aqueles jogos de RPGMaker do coração, que te dão nostalgia, que vocÊ admira? Acho que é essa inconstância que torna o mundo maker tão ... divertido.

Não sei se seria legal que todos os projetos vissem a luz do dia e que todos fossem excepcionalmente bons, acho que nem teria muita graça.

Memoria

  • *
  • Mensagens: 1 Ouro: 0
  • Aquariano sempre, seguindo regras jamais.
    • RPG Maker VX/Ace
    • Ver perfil
    • E-mail
Pois é, eu estou passando por tudo isso  :T.T: . Comecei um projeto me arrependi e deletei, iniciei um 2º projeto enquanto fazia o meu atual mas também já parei e agora estou produzindo um jogo muito grande.  Mas estou produzindo sozinho por que ninguém que eu conheça sabe usar RPGMaker. Acredito que as pessoas passam por esses problemas por não ter quem as ajudem, não conseguem se organizar e acabam cometendo esses erros. Mas depende de cada um mesmo, algumas pessoas passam por esses problemas e superam e outras nem chegam a passar.
Se Deus encheu tua vida de obstáculos, é porque ele acredita na tua capacidade de passar por cada um!

Cross Maker

  • *
  • Mensagens: 22 Ouro: 7
    • RPG Maker 2k/2k3
    • Ver perfil
Eu meio que quase que passei por isso, estava produzindo um projeto fascinante e tinha condições para faze-lo, porém eu só mexia no projeto quando tinha ideias que eu tinha certeza que colocaria no projeto, fiquei 3 anos desenvolvendo esse projeto, porém recentemente minha HD queimou e perdi tudo (quase 300 megas de gráficos originais) , eu sinceramnete fiquei desanimado demais para criar um jogo foi aí que alguns familiares meus me animaram e decidi fazer um outro projeto que já estava planejando mas não tinha nem iniciado. Eu ainda não deixei aquele projeto grandioso abandonado eu ainda quero faze-lo nem que pra isso eu tenha que recomeçar tudo de novo, mas, no momento eu não to com animo e nem recursos para refazer aquele grandioso projeto, estou trabalhando nesse outro até que eu possa voltar a ativa :)

Loneliness

  • *
  • Mensagens: 88 Ouro: 54
  • Faço um monte de nada em tempo integral c:
    • RPG Maker VX/Ace
    • Twitter
    • Steam
    • Ver perfil
Eu tenho certeza que chego a quase quinhentas horas de RPG maker e nunca cheguei a completar um projeto.
Na grande maioria das vezes, é por conta das coisas que foram citadas nesse texto. Mas tem um outro fator que desmotiva muito um maker, e pode ser a sua ruína: a falta de feedback.
Nas raras ocasiões onde eu tive conteúdo suficiente para mostrar meu projeto às comunidades, eu postei os mesmos e advinha? Tinha vezes onde eu não recebia um único comentário, nem que fosse pra xingar o jogo e mandar eu deletar aquela titica. E isso aconteceu com todos os meus projetos, e eu acabei me desanimando e, inclusive, desistindo de quase todos eles.

Meu projeto atual é bom? Não sei. Vai flopar? Provavelmente. Mas a gente tem que continuar persistindo até o dia que algo funcionar

Camus

  • *
  • Mensagens: 48 Ouro: 14
    • RPG Maker XP
    • Ver perfil
É muito difícil alguém entrar no Maker e nunca se deparar com esses problemas.

Uma coisa que acho importante para quem está começando é planejamento. Esses projetos de iniciantes normalmente não tem planejamento nenhum e o maker vai jogando o que vem na cabeça na ferramenta. Isso é facilmente percebido quando é criado o tópico e você vê pouca informação trabalhada, poucas imagens ou imagens do mesmo mapa, mas de ângulos diferentes. Acho que todo projeto desenvolvido, seja no maker ou não, tem que passar por uma fase de planejamento e estruturação.

Acho que o mais atrapalha a galera dos "grandes projetos" é trabalhar individualmente e o tempo fora do maker.

 

Versão Mobile