Visitante!
Faça seu Login ou Registre-se!

Galeria de Jogos

Canções de Mnemosine 6 Respostas | 194 Visualizações

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

RaonyFM

  • *
  • Mensagens: 3 Ouro: 5
  • Um sujeito (?) aí...
    • RPG Maker VX/Ace
    • Facebook
    • Twitter
    • Ver perfil
    • E-mail
Canções de Mnemosine
Online: 11 Jan 2018, 01:45
Canções de Mnemosine



Informações básicas:
Nome do criador: RaonyFM
Gênero: RPG/Drama/Aventura
Data de inicialização: 15/12/2017


O Projeto:


APRESENTAÇÃO



Saudações calorosas, Makers! Chamo-me Raony Francisco Moraes, sou um estudante de filosofia fascinado por histórias e videogame, e decidi arriscar-me a desenvolver um joguinho nessa engine que lhes é tão familiar. Mas antes de começar a falar do projeto em si, gostaria de dizer algumas palavras.
Quando comecei a ruminar sobre a história que pretendia contar, decidi que ela precisava ser lembrada menos por suas mecânicas e jogabilidade revolucionária que pela sua sensibilidade e força. Este jogo não será sobre dragões e criaturas demoníacas (embora essas coisas estejam presentes), mas sobre personagens. É uma tentativa de tentar exprimir o que se perde na corrente das palavras.
Por esse motivo, talvez o que estarei fazendo aqui não atenda às expectativas de como deveria ser um jogo - tradicionalmente falando. Explico-me. Em uma entrevista, quando perguntado sobre a maior lição que ele teria aprendido após desenvolver “To the Moon”, Kan Gao diz:

Citar
Talvez não me sentir obrigado a seguir o que eu penso que um jogo deva ser e tentar só fazer algo que seja importante para mim. E eu acho que as pessoas não são tão diferentes quanto achamos que somos. Todos temos aspectos centrais que nos conectam. Todos sentimos as mesmas coisas fundamentais. Eu sinto que ao fazer algo importante para mim... eu sei que será importante para outras pessoas também.

Acredito que se pudesse precisar o que pretendo fazer aqui, seria isso: algo importante para mim e que possa, de alguma maneira, tornar-se importante para outras pessoas. Espero, genuinamente, que isso aconteça.



INTRODUÇÃO





Canções de Mnemosine é, se for para defini-lo em breves palavras, um experimento existencial e filosófico cujo objetivo consistiria em provocar sensações e dar voz aos dramas humanos, demasiado humanos. Trata-se de um RPG clássico, à moda de jogos como os primeiros FF e Chrono Trigger. Ambientado na era medieval, suas mecânicas são análogas ao que já se viu por aí, mas seu mérito consiste em assumir o risco de contar uma história cujos temas não orbitam a jornada épica de um valoroso herói chamado a salvar o mundo de uma grande ameaça maligna, mas a aventura íntima de indivíduos quaisquer dotados daquelas contradições comuns ao gênero humano. 
Indo de encontro às regras estabelecidas pelo modelo tradicional da jornada do herói, aqui não haverá um chamado a ser negado e, depois, respondido à medida que o herói aceita o fardo de ser o escolhido. Cada personagem age segundo forças independentes de sua vontade, contudo, tais forças são mundanas, destituídas de uma natureza épica e superior: o que, no aqui e agora, nos move, nos faz seguir em frente e continuar lutando, mesmo não existindo nenhuma promessa de final feliz ou o Destino para dizer-nos que a vitória é certa?

Citar
Blessed are the forgetful, for they get the better even of their blunders. – Charlie Kaufman, Eternal Sunshine of the Spotless Mind (2004)

E por que esse título? Mnemosine é a deusa grega da memória, titânide filha de Urano e Gaia, protetora do passado. Sua prole com Zeus dará origem às artes (poesia, teatro, música, dança etc.), à história e à astronomia, isto é, ela é a deusa que dá à luz a cultura, na medida em que preserva as ações do homem, imerso em sua finitude, do esquecimento. Seu nome já representa um indício dos dois grandes temas deste jogo: a memória e o esquecimento, o jogo e mistura entre essas duas instâncias que definem o que somos e a possibilidade de nos tornarmos coisas diferentes do que somos. E se uma raça por séculos oprimida, impotente diante do sofrimento do passado, fizer de motor da sua revolta essa impotência? E se um povo, tendo se reconciliado com seu passado trágico, buscar por não mais do que o direito de existir e ter um futuro? O quão longe eles poderão chegar? Que mudanças eles podem trazer, para eles e para outros? Cada acontecimento do presente - da vida singular de cada personagem à revolução e à guerra - remete a uma postura com relação ao tempo.
Finalizando, eu diria que esse jogo fala... ou procura falar sobre nós mesmos, sobre a virtude que possuímos (quer saibamos ou não) de construir mundos, ou de destruí-los.


Enredo e personagens:

O ano é 3724d.c (“Depois da Conquista”, no calendário adotado pela Monastia). Verlan, um país do continente de Kaleron e centro do Reino dos Homens, passa por uma grande crise política que se alastrou por todo o seu território. A monarquia degenera-se, e uma classe senhorial emergente está pressionando o jovem e inexperiente rei Teófilo VII a aprovar reformas estruturais no governo em benefício próprio (ampliação do poder de legislar, de regular a economia e uma maior participação na divisão do tesouro da Coroa). Mas essas reformas vão de encontro às necessidades do povo, a violência e a pobreza aumentam pela deliberada negligência do Conselho dos Nobres e o rei, imobilizado pelo jogo político, pouco ou nada pode fazer para contornar a situação. Antigos conflitos entre a raça humana e outras raças de Verlan reacendem pela busca desesperada por culpados, provocando revoltas em todo o país e o surgimento de grupos de resistência variados, uns mais pacíficos, já outros extremamente violentos. Entre os mais violentos destaca-se um grupo que se autoproclama Apóstatas. Na verdade, trata-se de um culto hermético liderado por Dorfan, um mago excomungado pela Universidade Arcana e sentenciado à morte por manipular manifestações do Abismo, plano cósmico habitado pelas mais terríveis monstruosidades do mundo de Kaleron.
Perseguições a grupos raciais minoritários e execuções de militantes tornam-se comuns. Soldados são postos nas ruas para conter a massa revoltosa e de suas espadas escorre o sangue dos cidadãos. Com o discurso inflamado e acusatório dos membros do Conselho dos Nobres, cresce o medo e a suspeita contra magos, elfos e orcs, tidos como os verdadeiros responsáveis pela crise em Verlan. A Floresta de Tûrjan, o último reino dos elfos da floresta, torna-se alvo de operações militares de reconhecimento e os senhores élficos Arundir e Galadhalta preparam-se para a guerra iminente. Orcs, por sua vez, atacam indiscriminadamente e sem razão aparente quaisquer viajantes que ousem cruzar o seu território, despertando a cólera do povo fustigado pela violência desenfreada, enquanto jovens magos egressos da Universidade Arcana são presos e queimados pela população sob as mais indignas acusações.
Mariathan, o protagonista, vive numa cabana isolada em In’gan, um dos cinco condados que juntos formam o país de Verlan. Diante da crescente tensão política, Mariathan será forçado a participar de acontecimentos inesperados. Além disso, por ser um mago, ele passará por grandes dificuldades, sua condição torna-o um criminoso em potencial, posto em constante suspeita e despertando um misto de desprezo e pavor entre os cidadãos de Verlan. Isso o colocará em dúvida sobre qual causa abraçar, fazendo-o questionar-se sobre o limite entre a vingança e a justiça, a revolta e o ódio.

O Protagonista

Nome: Mariathan
Classe: Mago
Descrição breve: Mariathan vive como um eremita numa região de difícil acesso em Ing'an. Solitário e taciturno, ele passa a maior parte do tempo lendo seus livros arcanos e aperfeiçoando suas habilidades de manifestação, sob a orientação de Sawen, que o acompanha desde  sua infância.

Outros três personagens acompanharão Mariathan, mas eles serão revelados na versão de demonstração que está em desenvolvimento.

Imagens

Tela de Título


Uma das regiões iniciais


Taberna do Camponês Manco


O protagonista com uma das personagens do núcleo principal


Mapa do Condado de Ing'an


Sistemas e scripts:

Yanfly: Ace Message System v1.01
Raizen884: Som de passos/Parallax Fix/Fix Picture/Script de Pular Title
King Gerar: Cataclisman - Choose Drop
JohnBolton: JB{Distribuição de Atributos} - Versão 1.0
Azraven: Azraven Minimap
Zeus81: Fullscreen++ v2.2 for VX and VXace
Mithran: Text Cache v 1.03
 
Download (em breve):

O lançamento da versão demo do jogo está previsto para meados de maio de 2018. Atrasos poderão, eventualmente, ocorrer.

Créditos e Agradecimentos

Gostaria de agradecer a página "RPG Maker Brasil" pelo feedback e contribuições, e também ao "Centro RPG Maker" pela oportunidade de divulgar esse projeto.
« Última modificação: 11 Jan 2018, 09:33 por Corvo »
"A arte é o que resiste: ela resiste à morte, à servidão, à infâmia, à vergonha." (Gilles Deleuze)

Loneliness

  • *
  • Mensagens: 81 Ouro: 49
  • Faço um monte de nada em tempo integral c:
    • RPG Maker VX/Ace
    • Facebook
    • Twitter
    • Steam
    • Ver perfil
Canções de Mnemosine
Resposta 1 Online: 11 Jan 2018, 04:01
Vou te dizer que histórias em âmbito medieval nunca me atraíram de fato por serem muito recorrentes, mas a sua introdução e o modo como escreve cativaram a minha curiosidade. Sinceramente, algo que eu aprendi nos meus anos como escritora amadora foi exatamente isso o que você e o criador de To The Moon disseram. Eu gosto muito de jogos que procuram ir ser mais do que o meu entretenimento por algumas horas, então estou bem ansiosa para uma demo desse jogo.

Quanto ao que posso analisar das screens:
A tela de título e o mapa do precipício estão muito bons, mas os outros mapas podiam melhorar. Acredito que um jogo que tem um foco maior na história deve investir bastante em gráficos e sons, pois eles vão construir toda uma ambientação que podem fazer completamente a diferença na sua narrativa.
Naquele primeiro mapa com a casinha, a estrada de terra está muito reta e artificial, assim como as gramas que circundam exatamente ao redor da habitação.
No mapa da taberna, eu adicionaria alguma iluminação mais elaborada e adicionaria um pouco mais de vida. Tabernas são lugares animados onde pessoas vão para beber, jogar, comer, procurar uma pausa em sua jornada.
Não gostei muito do mapa do Condado. Os elementos parecem não combinar, e eu sempre odiei muito os gráficos pra mapa mundi presentes no rtp. Além disso, esse fog em volta ficou meio estranho.

Enfim, boa sorte com o seu projeto!

RaonyFM

  • *
  • Mensagens: 3 Ouro: 5
  • Um sujeito (?) aí...
    • RPG Maker VX/Ace
    • Facebook
    • Twitter
    • Ver perfil
    • E-mail
Canções de Mnemosine
Resposta 2 Online: 11 Jan 2018, 10:10
Obrigado pelas considerações.


Eu também escrevo já há alguns anos, por isso também prezo por jogos que tenham algo a dizer e que não me divirtam apenas. Por isso mesmo, apesar de tratar-se de um RPG medieval, eu tentarei fazer algo diferente; gosto do ambiente medieval pela sua força simbólica, algo que costuma ser esquecido.

Sobre o level design: ele ainda passará por diversas modificações, não se preocupe. Como estou organizando o desenvolvimento em etapas, para uma melhor otimização do trabalho, minha preocupação atual é criar a estrutura dos cenários, para depois aprofundar os detalhamentos. A iluminação e o sombreamento receberão futuramente um tratamento mais demorado (ainda estou aperfeiçoando minha técnica de parallax). A taberna contará com personagens nas mesas, reunidos em pé, ao balcão, e até ratos correndo pelo piso (nunca entendi como uma taberna medieval não tem ratos... haha).

Ainda não estou satisfeito com o mapa do condado. Meu objetivo é descartar todos os gráficos do RTP, utilizando-me de recursos exteriores e editados, e esse mapa em especial precisará de uma bela repaginada; enfim, ainda há muito trabalho a ser feito, o que também justifica a ausência de uma demo.

Mais uma vez, obrigado.

:)
"A arte é o que resiste: ela resiste à morte, à servidão, à infâmia, à vergonha." (Gilles Deleuze)

Vixen

  • *
  • Mensagens: 239 Ouro: 119
    • RPG Maker 2k/2k3
    • Ver perfil
Canções de Mnemosine
Resposta 3 Online: 11 Jan 2018, 10:44
Achei bem legal a ideia e mais legal ainda o lance de Mnemosine (eu publicava um quadrinho online com esse nome, baseado na mesma lenda =p); e pelo visto vocÊ trilhou o mesmo caminho, utilizar a ideia por trás da mesma e não contar a história dela. Mitologia greco-romana é tão rica e eu curto toda vez que vejo algo sobre.

Acompanharei seu projeto.
PS: Curti muito seu mapa mundi, me lembrou Actraiser.

MrDopeFreshness

  • *
  • Mensagens: 34 Ouro: 22
  • "Troublesome 96"
    • RPG Maker VX/Ace
    • Ver perfil
    • E-mail
Canções de Mnemosine
Resposta 4 Online: 11 Jan 2018, 11:39
Opa, beleza?

Algo que me chamou à atenção no seu projeto foi sem dúvida o objetivo que colocou no jogo. Me parece algo que deve ser levado em consideração e mostra que você está desenvolvendo o projeto com seriedade e empenho. Outra coisa que gostei bastante, foi o mapeamento e as luzes, pelo menos o que consegui visualizar pelas screenshots. Me parece tudo bastante cuidadoso e detalhado, esses pequenos detalhes contribuem bastante para o jogo, e são perfeitos para uma primeira impressão, mesmo que ainda precise de algumas melhorias por exemplo na taberna, como já foi comentado acima, mas você sem dúvida terá tempo para melhorar isso. Por isso lhe dou grande mérito por ter colocado essas screenshots.  :ok:

Só me resta lhe desejar bastante sucesso no seu projeto e gostaria de sugerir a você fazer um projeto com a temática de terror futuramente, acho que você iria conseguir fazer algo muito legal.  :clap:
« Última modificação: 11 Jan 2018, 11:57 por MrDopeFreshness »

Uhtred

  • *
  • Mensagens: 1591 Ouro: 1872

    Vencedor CRM Awards - Melhor Projeto Vencedor CRM Awards - Melhor Jogo Completo Vencedor CRM Awards - Melhor Maker Participantes do Maps Together 2 Vencedores do Protótipo Premiado Vencedores das edições do Concurso Projeto Rickas!

  • Wyrd bið ful aræd
    • RPG Maker VX/Ace
    • Ver perfil
Canções de Mnemosine
Resposta 5 Online: 11 Jan 2018, 18:51
Então, tirei um tempo pra ler o tópico e gostei do que eu vi aqui.

Sobre a história, vejo que você tem bem definido todo o seu mundo, parece até que tem fatos aí pra pôr um em livro. Me aparentou que trouxe bastante do universo Tolkien pro projeto, e eu curto bastante isso. Percebo uma boa escrita e uma história bem fundamentada, meu único receio é que você consiga passar esse universo e essa história para o jogador sem forçá-lo a parar diante a tela do PC durante dez minutos lendo.

Minha dica é que você vá introduzindo e fazendo ele conhecer esse mundo aos poucos, durante o jogo, que ele vá descobrindo coisas... basicamente, trabalhe bastante na imersão.

Sobre o mapeamento, tá bem feito e bonito. Não tem nada a mudar aqui, não perca muito tempo tentando idealizar algo perfeito graficamente que se encaixe com sua história, pois isso só vai te atrasar e não vai conseguir resultados. Digo isso porque ao criar algo no RPG Maker você fica meio limitado à esse aspecto mais infantil dos personagens e gráficos ... e a não ser que seja um pixel artist com MUITO tempo para refazer todos os gráficos, o jeito é esquecer isso e tentar passar a sua história pro jogo apesar desse visual mais "inocente" que o Maker tem.

Sobre a proposta do jogo, eu curti bastante o que falou no início. É algo que tá em alta depois de GoT, fugir da imagem que o herói é bonzinho e o vilão é o malvado... tem bastante jogos indo para esse caminho e é um caminho que me agrada.

Gostei do personagem principal, ele tem personalidade e é um Mago que já inicia sendo perseguido só pela sua classe, tem muita coisa que pode tirar disso.

Enfim, boa sorte aí e estarei acompanhando!

RaonyFM

  • *
  • Mensagens: 3 Ouro: 5
  • Um sujeito (?) aí...
    • RPG Maker VX/Ace
    • Facebook
    • Twitter
    • Ver perfil
    • E-mail
Canções de Mnemosine
Resposta 6 Online: 11 Jan 2018, 21:47
Achei bem legal a ideia e mais legal ainda o lance de Mnemosine (eu publicava um quadrinho online com esse nome, baseado na mesma lenda =p); e pelo visto vocÊ trilhou o mesmo caminho, utilizar a ideia por trás da mesma e não contar a história dela. Mitologia greco-romana é tão rica e eu curto toda vez que vejo algo sobre.

Acompanharei seu projeto.
PS: Curti muito seu mapa mundi, me lembrou Actraiser.

Sim, o propósito foi o de partir do mito como forma simbólica, ao invés de contar sua história. Como sou estudante de filosofia, tenho um certo apreço pela Grécia Antiga, o que me fez recorrer a ela e seus arquétipos. Ademais, como você bem disse, a mitologia grega é de uma grande riqueza, eu diria inesgotável. Sobre o mapa mundi, se você gostou dessa versão, creio que gostará ainda mais da versão revisada, na qual corrigirei o que a meu ver ainda não está bom nele. Obrigado por comentar.

;)

Opa, beleza?

Algo que me chamou à atenção no seu projeto foi sem dúvida o objetivo que colocou no jogo. Me parece algo que deve ser levado em consideração e mostra que você está desenvolvendo o projeto com seriedade e empenho. Outra coisa que gostei bastante, foi o mapeamento e as luzes, pelo menos o que consegui visualizar pelas screenshots. Me parece tudo bastante cuidadoso e detalhado, esses pequenos detalhes contribuem bastante para o jogo, e são perfeitos para uma primeira impressão, mesmo que ainda precise de algumas melhorias por exemplo na taberna, como já foi comentado acima, mas você sem dúvida terá tempo para melhorar isso. Por isso lhe dou grande mérito por ter colocado essas screenshots.  :ok:

Só me resta lhe desejar bastante sucesso no seu projeto e gostaria de sugerir a você fazer um projeto com a temática de terror futuramente, acho que você iria conseguir fazer algo muito legal.  :clap:


Grato pelos bons votos, meu caro. Olha, não pretendo prender-me a um único gênero, mas nunca considerei a hipótese de fazer um jogo de terror. Lembrarei de sua sugestão futuramente.

:)

Então, tirei um tempo pra ler o tópico e gostei do que eu vi aqui.

Sobre a história, vejo que você tem bem definido todo o seu mundo, parece até que tem fatos aí pra pôr um em livro. Me aparentou que trouxe bastante do universo Tolkien pro projeto, e eu curto bastante isso. Percebo uma boa escrita e uma história bem fundamentada, meu único receio é que você consiga passar esse universo e essa história para o jogador sem forçá-lo a parar diante a tela do PC durante dez minutos lendo.

Minha dica é que você vá introduzindo e fazendo ele conhecer esse mundo aos poucos, durante o jogo, que ele vá descobrindo coisas... basicamente, trabalhe bastante na imersão.

Sobre o mapeamento, tá bem feito e bonito. Não tem nada a mudar aqui, não perca muito tempo tentando idealizar algo perfeito graficamente que se encaixe com sua história, pois isso só vai te atrasar e não vai conseguir resultados. Digo isso porque ao criar algo no RPG Maker você fica meio limitado à esse aspecto mais infantil dos personagens e gráficos ... e a não ser que seja um pixel artist com MUITO tempo para refazer todos os gráficos, o jeito é esquecer isso e tentar passar a sua história pro jogo apesar desse visual mais "inocente" que o Maker tem.

Sobre a proposta do jogo, eu curti bastante o que falou no início. É algo que tá em alta depois de GoT, fugir da imagem que o herói é bonzinho e o vilão é o malvado... tem bastante jogos indo para esse caminho e é um caminho que me agrada.

Gostei do personagem principal, ele tem personalidade e é um Mago que já inicia sendo perseguido só pela sua classe, tem muita coisa que pode tirar disso.

Enfim, boa sorte aí e estarei acompanhando!

Eu passei a maior parte de 2017 dedicando-me unicamente na construção do mundo. E você tem razão, há uma forte inspiração tolkiana no projeto. É incrível como Tolkien constrói todo um universo para suas personagens, e quis fazer o mesmo, dadas as devidas proporções. Realmente, será preciso um cuidado a mais com os elementos de imersão, não quero que o universo que criei seja conhecido por meio de textos monográficos, por isso tentarei fazer com que o mundo fale por si só, sem o auxílio de muletas explicativas.
Seu conselho sobre o level design foi valioso. De fato, não dá para exigir mais do que a engine pode oferecer. Aliás, entendo bem o que falas com a estética mais, digamos, "inocente", do RPG Maker, e tentarei usar isso a favor da história, ao invés de considerá-la como um obstáculo. Assim, imagino, tirarei mais proveito do que a engine tem a oferecer.
Por fim, que bom que gostou do protagonista, a personalidade de cada um terá um peso muito grande na história, cuja eficácia dependerá do grau de envolvimento com as personagens, por isso, pretendo dar profundidade a cada uma delas.
Obrigado pelo feedback, sempre que possível, estarei mantendo todos a par do projeto, novidades serão postadas e espero não atrasar o lançamento da demo... hahaha

o/
« Última modificação: 11 Jan 2018, 21:49 por Corvo »
"A arte é o que resiste: ela resiste à morte, à servidão, à infâmia, à vergonha." (Gilles Deleuze)

 

Versão Mobile