Visitante!
Faça seu Login ou Registre-se!

Promoções na Steam

Galeria de Jogos

É construtivo ou destrutivo? Como lidar com críticas em 5 passos 6 Respostas | 1919 Visualizações

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Cronus

  • *
  • Mensagens: 688 Ouro: 2080

    Vencedor do evento Makers Jam! realizado em Out/2015. Vencedor CRM Awards - Melhor Jogo Completo Vencedor CRM Awards - Melhor Maker Participantes do Maps Together 2 Medalha dada à melhor pontuação no Concurso Halloween 2013

    • Construct 2
    • Twitter
    • Steam
    • Youtube
    • DeviantArt
    • Ver perfil
  • Elmo Halloween

Muito se fala sobre críticas: construtivas ou destrutivas. No nosso caso, a crítica não só é recorrente como é essencial. Geralmente essas críticas tomam diversas formas diferentes como reviews, que podem ser feitas com diferentes propósitos como auxiliar no desenvolvimento de um projeto ou simplesmente avaliar o fruto de um trabalho completo. O objetivo de uma crítica é analisar dedicadamente os aspectos de algo e fornecer informações a respeito do que pode (ou poderia) ou não ser feito de forma diferente, geralmente melhor.
Mas o que é crítica destrutitva e construtiva, afinal? Como devo lidar com isso? Há muita confusão a respeito da interpretação de críticas, e muita gente se prejudica por conta disso. É pensando nisso que resolvi escrever esse tópico com 5 passos (ou dicas) pra se aceitar críticas, que pode ser útil não só pra quem recebe mas até mesmo pra quem fornece.



I- Não fique chateado, ninguém é perfeito.
A primeira reação que sempre temos quando recebemos alguma crítica negativa é se chatear. Reações como: "Mas caramba, é o melhor que consigo fazer! Eu estou tão satisfeito com o resultado! Fiz melhor que muita gente!" são comuns e completamente naturais. Afinal de contas você dedicou seu tempo, você está feliz com o fruto do seu trabalho e isso significa muito pra você. Mas não precisa ficar muito chateado, se achar ruim ou desistir, porque ninguém é perfeito.
Se você errou e alguém apontou esse erro, não quer dizer que você é pior do que essa pessoa, que tem menos qualidades ou que seu trabalho está sendo mediocrizado. Quer dizer que alguém apenas está te apontando algo que você talvez não tenha percebido, com o intuito de tentar ser didático. Todos estão sujeitos a crítica assim como todos tem o direito de criticar. O primeiro passo pra lidar bem com críticas é possuir auto-crítica, pois isso indica que você já reconhece que pode errar e que o que faz está sujeito a falhas. Se reconhece isso, é mais difícil de se ofender ou chatear ouvindo as palavras de outra pessoa.
E lembre-se: você também não precisa aceitar todas as críticas de imediato ou achar que todas elas são válidas pra você, mas falaremos disso mais adiante.



II- Não se sinta bom de mais, ninguém é perfeito.
Como dito acima, o primeiro passo pra não se magoar com críticas é ter auto-crítica e reconhecer suas limitações. Isso quer dizer que você não deve se sentir bom de mais e colocar o seu trabalho acima dos seus méritos ou até mesmo acima do trabalho de terceiros. Você pode se esforçar, você pode ser bom e pode ser achar bom por isso. Mas se não acreditar que pode cometer falhas e não estiver disposto a aprender e melhorar, você está sendo nada mais do que ignorante se colocando acima da razão.
Você não precisa aceitar todas as críticas, mas deve considerá-las e pensar a respeito ao invés de simplesmente ignorá-las. Se achar bom de mais e não ligar pra críticas pode te prejudicar muito. Imagina se você investisse todo o seu dinheiro pra levantar um restaurante, mas nunca quis ouvir o que as pessoas acham da sua comida? Se sua comida for ruim, ninguém vai comer no restaurante e você vai aprender que cozinhava mal da pior forma: depois de ter investido tudo.



III- Dialogue.
Conversar não mata. Conversar é saudável, conversar faz bem. Converse.
Esteja disposto a responder os comentários que te fazem, seja receptivo. Se alguém criticar algum ponto que você acha inválido, responda e fale a respeito das suas razões. Se não entendeu bem a razão de certa crítica, peça para a pessoa explicar melhor. Se algo foi criticado e você não sabe como resolver, peça ajuda e sugestões de como melhorar. Caso acaba se envolvendo em uma discussão, tenha em mente que discussão não é sinônimo de briga, não precisa ser algo ruim. Lembre-se também de que quem está te fazendo críticas também está oferecendo tempo e dedicação a isso, demonstrando interesse.
Tanto quanto é bom receber uma crítica compreensíva, é bom ser compreensivo pra aceitar uma crítica. Todo mundo sai feliz.



IV- A Não Crítica.
Essa parte é a mais importante. É preciso saber o que é e o que não é uma crítica. Sabe a conversa de crítica destrutiva e crítica construtiva? Então, críticas destrutivas não existem. Toda crítica é construtiva, pois está apontando coisas que podem ser feitas de modo diferente e sugerindo mudanças, ou apotando coisas que ficaram boas e que deveriam ser encorajadas. Se alguém diz algo com o único propósito de ofender por não gostar, sem uma argumentação e sem justificativas plausíveis, isso nada mais é do que uma opinião ofensiva e não uma "crítica destrutiva". Críticas e opiniões são muito similares, mas não são a mesma coisa.


Existem vários tipos de opiniões. Quando alguém te elogia, se diz impressionado, demonstra interesse e fala que gostou, isso é uma opinião. Uma pessoa que te xinga não é diferente. Opiniões não são críticas pois a pessoa não está fazendo uma análise e sim comentando sobre os seus gostos, interesses e experiências pessoais.
Você não tem razões pra se ofender muito com opiniões, pois como sabemos cada um tem seu modo de pensar. Não recuse críticas por confundí-las com opiniões.
Pense assim: críticas são opiniões com embasamento e argumentos acompanhadas de sugestões, enquanto opiniões por si só apenas remetem a gostos pessoais.



V- Filtro.

O nosso último passo é saber filtrar as críticas que você recebe. Lembra quando falei que você não precisa aceitar todas as críticas? Então, pode ser que algumas críticas apontem coisas que você já reconhece ou até mesmo coisas que você fez propositalmente com uma razão específica em mente. É nessa parte que você usa tudo o que foi dito nos passos anteriores: reconhece que pode não agradar a todos e não se chateia por isso; se dispõe a ler e responder as críticas pra tentar tirar algo que te serve sem ignorá-las completamente; e por fim separa o que é uma crítica e o que é só uma opinião pessoal.
É tipo comer uma fatia de melancia. Você vai se concentrar na parte vermelha com a fruta, deixar a parte da casca e cuspir as sementes. Você não deve comer elas só porque te deram um pedaço todo. Você vai absorver o que é bom e descartar o que não serve pra você.


Concluíndo
Eu acredito fortemente que esses passos podem ser de bastante utilidade no geral. Muitos me conhecem por ser uma pessoa muito crítica às vezes, mas também sou sujeito a críticas e também tenho que aprender a lidar com isso constantemente. É algo com o qual convivemos em todos os ciclos da nossa vida. Somos criticados no trabalho, na família, entre os amigos e nos hobbies. Lembra daquela época em que sua mãe fica dizendo o que você tem que fazer o tempo todo e você detesta isso? É chato, mas você sabe que ela faz isso porque quer ver você bem. Às vezes é bastante chato e ruim de lidar, mas não é impossível e não é algo que destrói ninguém, basta se lembrar que críticas são feitas pra ajudar e não pra destruir, como já explicado.


Espero que isso possa contribuir um pouco com essas polêmicas todas a respeito de criticismo que sempre vemos por aí e que faz muita gente perder os cabelos e virar a cara, seja iniciante ou seja experiente. É muito bom ser elogiado, e saber receber críticas é abrir ainda mais as portas pros elogios. Relaxem, reflitam e fiquem numa boa.

Até a próxima.

JohnBolton

  • *
  • Mensagens: 16 Ouro: 9
    • RPG Maker XP
    • Ver perfil
    • E-mail
Desenhinhos bonitinhos e bem representativos.

Minha perspectiva desse comportamento inocente e banal está em base desse texto aqui ó: A Longa & Deprimente História de Marcos; que, a propósito, dá um baque muito maior: é como se fosse chantagem a uma criança. Aos seus cinco passos a minha reação foi: "Okay. Beleza. Li. Cabô.". Sabe comé. Críticas (:
« Última modificação: 17 Ago 2014, 00:56 por JohnBolton »

VincentVII

  • *
  • Mensagens: 2433 Ouro: 875
  • Voltando aos poucos!
    • RPG Maker XP
    • Facebook
    • Ver perfil
    • E-mail
Desenhinhos bonitinhos e bem representativos.

Minha perspectiva desse comportamento inocente e banal está em base desse texto aqui ó: A Longa & Deprimente História de Marcos; que, a propósito, dá um baque muito maior: é como se fosse chantagem a uma criança. Aos seus cinco passos a minha reação foi: "Okay. Beleza. Li. Cabô.". Sabe comé. Críticas (:


- Câmbio, Comando 11! Comando 11, câmbio!
- Aqui é Comando 11, câmbio! Qual o problema, agente Alfafa?
- Creio que acabo de identificar um 1234.
- Tentativa de flamewar? Espere, iremos enviar uma equipe de...
- Acho que não será necessário, Comando 11. Aparentemente ninguém deu atenção ao comentário e o flamewar falhou. Repito, o flamewar falhou.
- Então por que cargas d'água você ligou?
- É que eu me sinto solitário nos fins de semana...


E essa foi uma tentativa de VincentVII de ser engraçado. Por favor, sejam compreensivos com ele.



Uma matéria interessante, principalmente os tópicos IV e V, ainda mais porque recentemente tivemos uma situação envolvendo essa má aceitação de críticas no tópico do Rise of Dragon Souls. Acho uma boa debater esse assunto de tempos em tempos visto que é um problema que está sempre por perto. Não tenho muito o que adicionar ao que foi retratado na matéria, então basicamente fico nesse pensamento: Menos choro, mais bom-senso e mãos à obra!
« Última modificação: 17 Ago 2014, 09:31 por VincentVII »

Zugzwang

  • *
  • Mensagens: 188 Ouro: 186

    Segunda maior pontuação no concurso competição de tarefas

  • "Matar você será um ótimo remédio!"
    • RPG Maker VX/Ace
    • Ver perfil
Bom texto.

Simples, direto e bonitinho.

Bem colocados os desenhos para não parecer tudo enfadonho.

Pena ser o tipo de tema que dá a sensação de que quem precisa dele não vai nem ler :c, e não tão impactante pra quem acha que sabe lidar com críticas. Porque né, pessoalmente falando, eu acho que sei lidar com elas. Até a hora em que estou sendo criticado.

(Não que essas generalizações sejam sempre verdade, é claro.)

Enfim. Previsível até alguém julgá-lo simples em comparação com o Why Generation Y Yuppies Are Unhappy, se é isso o que se quer dizer. O que me lembra que, se não for pra seguir os pontos seriamente (como o III), é só um chover no molhado que lemos pra nos sentirmos mais maduros do que os outros.

(OBS: Cronus, use um corretor bão. Dia desses você estava escrevendo textos quilométricos no bloco de notas. Daqui a pouco o grammar nazi do Alucard vem aí ;P.)
« Última modificação: 17 Ago 2014, 09:56 por Zugzwang »
For all to be accomplished, for me to feel less lonely, all that remained to hope was that on the day of my execution there should be a huge crowd of spectators and that they should greet me with howls of execration.

Spoiler
[close]

Alisson

  • *
  • Mensagens: 2986 Ouro: 2008

    Vencedor CRM Awards - Melhor Mapper Vencedor CRM Awards - Melhor Maker Participantes do Maps Together 2

  • Come back two hours earlier.
    • Unity
    • Facebook
    • Steam
    • Youtube
    • Ver perfil
    • E-mail
  • Dragon ScalesPhoenixEspada CRMBreaklance
Sobre o Rise, acredito que a situação envolvia algo mais a fundo, mas isso não vem ao caso, certo?
Quanto ao primeiro comentário, vale de pessoa em pessoa saber se o rapaz estava querendo começar uma flamewar ou apenas dando um exemplo do que o possessor do tópico queria representar.
Ao todo, foi uma boa leitura aqui. Embora seja complicado os indivíduos ao menos terem tempo ou paciência/coragem de ler o mesmo.
Also, você não é crítico, o considero apenas como alguém de muita paciência. Mas como disse anteriormente, isso não vem ao caso.
De fato, muitos poderão discordar de alguns trechos daí pois cada um tem uma opinião diferente sobre um assunto e tudo é equivalente á gosto, fator que quero exaltar aqui.
Gosto, opinião, crítica, ofensa, todos esses elementos devem ser diferenciados em uma conversa, embora as pessoas desenvolveram um método de disfarçar as ofensas como simples críticas destrutivas, o que não é verdade.
Se eu fosse dar um exemplo do que as pessoas deveriam fazer, aqui vai:

"Amigo, esse seu texto tá muito legal. Eu pessoalmente gostei bastante."

Sendo que: Amigo, esse seu texto tá muito legal(opinião/elogio). Eu pessoalmente gostei bastante(aqui ele prova que foi sua opinião pessoal).

Outro exemplo seria:

"Amigo, esse seu texto está bem formatado, eu gostei de vários aspectos mencionados aqui, porém tenho que ressaltar que [algum texto] tem erros em certas partes. O [algum texto] na verdade ocorre com a maioria das pessoas que possuem [algum problema ou diferença], e não raramente entre as pessoas."

Em que: Amigo, esse seu texto está bem formatado(opinião/elogio), eu gostei de vários aspectos mencionados aqui(gosto), porém tenho que ressaltar que [algum texto] tem erros em certas partes(introdução á crítica). O [algum texto] na verdade ocorre com a maioria das pessoas que possuem [algum problema ou diferença], e não raramente entre as pessoas(final da crítica).

Simples. Sem demais segredos. É dessa forma que uma pessoa acostumada enxerga as coisas.
Also, bom texto.




joeybelmont

  • *
  • Mensagens: 48 Ouro: 79
    • Youtube
    • Ver perfil
    • E-mail
Muito bom o texto. Achei bem simples e objetivo (em outras palavras, facil de ler e entender).

Mesmo que as pessoas que precisem ler não leiam, pelo menos agora tem um link rápido e prático para indicar em alguma discução mais calorosa. hehe

Sem críticas a adicionar, fica minha opinião: Parabéns pelo texto, ficou ótimo.

obs: os desenhos ficaram bonitinhos e bem representativos mesmo!

Abços
« Última modificação: 18 Ago 2014, 00:10 por joeybelmont »


Uhtred

  • *
  • Mensagens: 1587 Ouro: 1868

    Vencedor CRM Awards - Melhor Projeto Vencedor CRM Awards - Melhor Jogo Completo Vencedor CRM Awards - Melhor Maker Participantes do Maps Together 2 Vencedores do Protótipo Premiado Vencedores das edições do Concurso Projeto Rickas!

  • Wyrd bið ful aræd
    • RPG Maker VX/Ace
    • Ver perfil
Bom texto, apesar de achar difícil que o texto influencie alguém em seu modo de agir ou pensar.

Só tenho que discordar que críticas destrutivas não existam, pois a crítica e ofensa nesse caso é algo muito relativo, como você mesmo diz:

Citar
"Opiniões não são críticas pois a pessoa não está fazendo uma análise e sim comentando sobre os seus gostos, interesses e experiências pessoais."

Uma crítica pode ser embasada em gostos pessoais e nesse caso sendo feita uma análise fundamentada em gosto pessoal justamente para rebaixar o trabalho do outro, claro que aí entra a parte do filtro e em o autor saber reconhecer se aquela justificativa e crítica são mesmo de alguém que quer ajudar ou de alguém que só quer rebaixar o seu trabalho.

A crítica destrutiva não se resume a ofensas e xingamentos, pode ser feita uma crítica destrutiva sem escrever um único palavrão ou palavra de desprezo, apenas pode se fundamentar em querer realmente destruir o trabalho de outro - mesmo quando na verdade o próprio autor da crítica tenha de fato gostado do mesmo. Seria a mesma coisa que mentir sobre algo apenas para atingir o criador e, dessa forma, tentar fazer com que ele modifique uma coisa que na verdade já está boa.

Isso é uma crítica destrutiva, quem a fez quer destruir o trabalho do outro e não deixa de ser uma crítica pois ele estaria justificando tudo por gosto pessoal ou perseguição.

É difícil de se encontrar aqui no nosso meio, mas existe bastante disso na vida real e em ambientes de trabalho competitivos.

Mas enfim, o próprio texto dá diretrizes para evitar esse tipo de crítica que eu citei acima, como o item III e o V.

 

Versão Mobile